E 2011 foi assim

Por vezes foi um ano difícil, mas certamente 2011 se consolida como o início dos grandes acontecimentos históricos que aconteceram no Oriente Médio. Refiro-me exatamente a Primavera Árabe, ainda que tenha efetivamente começado em 2010, teve o seu apogeu em 2011. Para mim, foi incontestavelmente o processo (não somente um fato) mais importante do ano, por que todos os mitos que questionavam a capacidade da ação coletiva de promover transformações nesses tempos pós-modernos caíram junto com os seus ditadores. Nem a forte máquina repressora, o verdadeiro arsenal militar, o caos, os meses de sacrifício e penúria, foram capazes de conter a fúria de um povo que se sentia ultrajado e há anos engolia a seco. É um marco justamente por que esse tipo de ação estava desacreditada, portanto, a Primavera Árabe não só serviu de exemplo em 2011, como também espalhou um sopro de ânimo para outras mobilizações ao redor do mundo. E tudo isso não tem mais volta.

No que tange a política interna, ainda estamos muito mal. 2011 foi o primeiro ano do Governo Dilma, marcado por uma série de denúncias e escândalos envolvendo corrupção, 1 milhão de ministros foram demitidos e a presidenta praticamente passou o ano tentando administrar crises. O principal partido de oposição, o PSDB, também não ficou atrás, sendo envolvido numa série de denúncias sobre os esquemas de corrupção e desvio de dinheiro na época auge da privatização no Brasil, ou seja, no governo do FHC. Diga-se de passagem, a Privataria Tucana passou sem fazer qualquer alarde na mídia brasileira.

Mas o saldo positivo é que em 2011 o Brasil deu mostras significativas, de que não vai se sujeitar facilmente a qualquer atrocidade. Foi um ano marcado por fortes mobilizações no país inteiro. Um grande ato nacional contra o absurdo da construção da usina Belo Monte; manifestações contundentes nos estádios contra Ricardo Teixeira e o mau uso (sendo brando) do dinheiro público nas obras da copa; grandes atos contra a corrupção em todo país; atos em defesa da vida do Marcelo Freixo (parlamentar do Rio de Janeiro ameaçado de morte pelas milícias); o gigantesco ato em favor da causa dos bombeiros no Rio de Janeiro, que recebem os piores salários do Brasil e ainda foram presos, chamados de vândalos e marginais pelo Governador; um ato mundial no 15 de outubro atendendo o chamado dos indignados, questionando qualidade da existência humana no capitalismo. Até a Times Square foi ocupada, dando mostras da força desse movimento.

Nos esportes, tivemos um Pan-Americano completamente desprestigiado por ter passado na Record (infelizmente eu também não assisti). Tivemos um campeonato brasileiro absolutamente acirrado, decidido apenas na última rodada, sagrando o Corinthians campeão (infelizmente, pois sou vascaíno). Vale ressaltar a perda de Sócrates, ex-jogador e ídolo do Corinthians. Fará falta por se tratar de uma das poucas pessoas que conseguiam enxergar o futebol fora das quatro linhas com lucidez. Sócrates era crítico ferrenho da CBF e de Ricardo Teixeira, uma verdadeira voz destoante do meio. Na fórmula 1 foi até chato, houve um domínio absoluto do alemão Sebastian Vettel que ganhou o campeonato não dando margem para disputas. Foi o ano do UFC no Brasil e no mundo, os contratos nas TVs abertas com grandes redes (no caso FOX e Globo) potencializaram a popularidade do esporte, que tem tudo para seguir batendo recordes em 2012. Destaque para a mais nova celebridade do ano: Anderson Silva.

No cinema, não é que tenha sido um ano ruim, mas foi um ano medíocre. Poucas produções tiveram grande destaque, prova disso é que até agora não há grandes favoritos para o Oscar, qualquer coisa pode acontecer. Meu destaque vai para “A Árvore da Vida”, que é realmente um primor de filme. De uma ambição, mas ao mesmo tempo de uma simplicidade ímpar, tudo casado perfeitamente para poder contar com perfeição a “história” da vida na terra, da singularidade (e importância) de cada existência e ao mesmo de sua insignificância. “A Árvore da Vida” é o grande filme de 2011.

Este blog fechou 2011 produzindo 16 textos, muitos focados nos temas de política e sociedade. Minha vontade para 2012 é continuar com esses temas, mas retomar cinema que infelizmente ficou esquecido. Vamos voltar mais ativamente com a colaboração de outras pessoas, para consolidar o crescimento que o blog teve em visualizações em 2011. Agradeço a todos que leram, comentaram, deram sugestões. O ano de 2012 está oficialmente inaugurado para “Ao Menos o Alívio”.

Marcio Ornelas

Revista Empty

Pessoal, esse será um post bem rápido com o objetivo de propagandear uma bela iniciativa feita por jovens (da qual faço parte), que é a revista Empty. Uma ideia bem antiga na verdade. Essa revista é completamente virtual e feita de forma colaborativa. Pessoas de diversas localidades do Rio de Janeiro se organizaram via internet para a produção de conteúdo. A sistematização desse conteúdo deu origem a essa revista, que já está na sua segunda edição. Em pauta há temas variados como cultura, política, tecnologia, poesias, crônicas e etc.

Realmente vale a pena dar uma olhada na revista. Lembrando que o conteúdo colaborativo não é exatamente uma experiência nova, mas nem de longe é algo difundido. O resultado dessa organização de conteúdo vindo de diversos lugares, rende uma produção heterogênea muito interessante. O objetivo não é fazer algo jornalístico e sim algo de opinião, que demonstre criticidade e que consiga dialogar com a juventude sem lhes impor um academicismo ou a formalidade. Temos muito o que avançar ainda em termos de organização e produção de conteúdo, mas estamos caminhando bem. Seguindo a lógica colaborativa, os blogueiros podem contribuir com a revista na forma de sugestões, apontamento de erros, avaliação (sempre importante), há a possibilidade de participação na revista com textos, por edição deve ter sempre um ou mais convidados. Quem quiser ajudar na construção da Revista Empty entre em contato no e-mail revistaempty@gmail.com.

Marcio Ornelas

obs: Link da nossa última edição http://issuu.com/revistaempty/docs/revistaempty1

E 2010 foi assim

Espero que tenha sido um bom ano para todos. O ano de 2010 está indo embora e esse blog aqui vai se despedir dele fazendo uma breve retrospectiva dos fatos marcantes de 2010. Aconteceram tantas coisas novas e outras tantas se repetiram a exaustão.

Começo lembrando que esse foi o ano em que o pequenino “Guerra ao Terror” derrotou o gigante “Avatar” no Oscar. Foi um ano de grandes filmes posso citar aqui “A Origem”, “A Ilha do Medo”, “A Rede Social”, “Cisne Negro” (não estreou no Brasil ainda). O ano em que o cinema nacional produziu “Tropa de Elite 2” maior sucesso do nosso cinema, quebrando o recorde de expectadores para filmes nacionais. O ano em que o 3D invadiu de vez o cinema e transformou a experiência de assistir um filme. Mas também foi ano das conversões de filmes 2D para 3D, só com o intuito de encarecer o ingresso.

Tivemos na política um fato histórico, a primeira presidenta eleita. O encerramento do governo do presidente Lula (com recordes de aprovação). Mas encerramos o ano com os mesmos problemas, educação totalmente precária e hospitais públicos que mais parecem açougue. Foi o ano das denúncias de trabalho escravo por todo o país, o ano da miséria pouco noticiada, de coronéis que mandam e desmandam em cidades inteiras. Foi o ano do presente de natal descabido do congresso (100% de aumento salarial para políticos e 5% para o salário mínimo). Tivemos uma noção do que é a diplomacia internacional com os telegramas dos diplomatas sendo revelados, verdadeiros fofoqueiros esses caras. E vimos uma crise derivada disso, um homem ameaçando e sendo ameaçado pelo todo poderoso EUA, logo os EUA, símbolo da luta pelos direitos humanos no mundo, mas que contradição.

Foi o ano dos desastres naturais (todo ano né), furacões, terremotos e muita chuva. Quem não se lembra da tragédia no morro do Bumba em Niterói tantos soterrados. Vivendo em condições de habitação precárias e ainda saíram da história como os culpados (ocupação irregular) pelo desastre que ocorreu. Aliás foi o ano das UPPs, nunca elas foram tão comentadas. O ano em que a política de criminalização da pobreza ganhou aprovação nacional. O ano da mega operação de “inteligência” no Complexo do Alemão, que prendeu quantos mesmo?

Só para não ser injusto foi o ano em que a Espanha do futebol bonito ganhou a copa. O Fluminense ganhou o brasileirão. O Internacional ganhou a libertadores, mas se ferrou no mundial. O ano do Mazembe. O ano em que a RBR ganhou o título na Fórmula 1. O ano em que a seleção masculina de vôlei foi campeã no mundial. O ano do César Cielo, realmente impressionante.

E claro não poderia deixar de lembrar que foi o ano de estréia desse blog. 2010 foi também o ano do “Ao Menos o Alívio”. Falamos muito sobre política, educação, notícias sobre a sociedade de modo geral. Ainda demos umas indicações sobre bons filmes (dentro dos limites do conhecimento sobre o tema). Quero agradecer a todos que entraram, leram e gostaram do blog, digo até que me surpreendi com a boa repercussão. E quero dizer que ano que vem voltaremos, faremos algumas reformulações, mudaremos algumas coisas e agregaremos outras. Cuidem-se e até lá.

Marcio Ornelas

O Começo

Esse é o post inicial do blog pessoal, e ele começa com um título bem original. Creio eu – embora não tenha certeza – que esse blog nasce com o objetivo de criar um espaço livre, um lugar para se falar de assuntos variados.  Aqueles assuntos de cunho sério, ou meramente uma trivialidade, que você quer falar no seu cotidiano, mas as pessoas que te cercam resusam-se a escutar, seja por desinteresse no tema ou por qualquer outro motivo. Na verdade o que importa é que este blog é um espaço aberto, para qualquer assunto que possa ser do interesse de alguém. E serão respeitadas as contradições que um blog sem tema definido implica, podendo ter aqui um post sobre algum filme do Almodóvar e outro do Seagal. Algum post que reflita seriamente sobre a conjuntura política e outro que zombe inteiramente dela.

O blog é o meu escapismo de círculos sociais quase monotemáticos e espero que sirva para vocês também. A internet e os blogs são os melhores lugares para se encontrar coisas incríveis, e coisas bem absurdas. Se você faz geografia, venha ler sobre outras coisas chatas aqui; se você faz publicidade, leia outras bobagens por aqui; e assim por diante. Que seja o lugar para as distrações rápidas, que dê um tempinho no tédio. E se você tem uma vida muito interessante e agitada, aí meu amigo, eu não te aconselho esse blog!

Marcio Ornelas